Connect with us

Celebridades

Marília Mendonça põe 74 músicas no top 200 do Spotify um dia após sua morte

Publicado

em

A comoção pela morte de Marília Mendonça está se refletindo em números. Um dia após o desastre aéreo que tirou a vida da cantora na sexta-feira (5), aos 26 anos, e de outras quatro pessoas, as músicas dela dominaram a parada brasileira de mais ouvidas no serviço de música Spotify.

Entre as 200 músicas mais ouvidas pelos brasileiros na plataforma no último sábado (6), 74 contam com vocais da cantora. Para efeito de comparação, no dia anterior, ela aparecia em 20 posições do mesmo ranking. Já no dia 4, antes do desastre, eram 6 as músicas que apareciam no top 200.

No sábado, as duas músicas mais ouvidas era de Marília Mendonça em parceria com as amigas Maiara e Maraisa. Em primeiro lugar ficou “Esqueça-me Se For Capaz”, com mais de 1,4 milhão de execuções. Ela era seguida por “Todo Mundo Menos Você”, também do trio, com 1,1 milhão de execuções.

O bom desempenho colocou as duas músicas também no top 200 global, em que aparecem músicas de todo o mundo. As músicas aparecem na 48ª e na 68ª posições, respectivamente. Já “Troca de Calçada”, também da cantora, aparece na 145ª posição.

Entre os brasileiros, também aparecem no ranking as músicas “Coração Cachorro” (79ª posição), de Ávine Vinny e Matheus Fernandes, “Galopa” (92ª), de Pedro Sampaio, “Revoada no Colchão” (117ª), de Zé Felipe e Marcynho Sensação, “Trava na Pose, Chama no Zoom, Dá um Close” (130ª), de DJ Patrick Muniz, Dj Olliver, Mc Topre e Mc Rennan, “Ameaça” (151ª), de Paulo Pires, Mc Danny e Marcynho Sensação, e “Ela me Falou Que Quer Rave” (189ª), de MC Levin, DJ Nikolas Alves Exclusive, DJ Kaioken e DJ Gege.

Vale lembrar que Marília Mendonça foi a artista brasileira mais ouvida de 2020 no Spotify, no Deezer e no YouTube, as três principais plataformas que concentram os ouvintes de música no país. “Gratidão não tem tamanho”, disse ela na época ao F5. “Quero deixar bem claro que vou sempre ouvi-los, porque em muitos momentos felizes, os fãs são minha própria voz.”

Continuar Leitura
Clique para deixar um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Celebridades

Claudia Leitte é chamada de genocida no Twitter após show em São Paulo

Publicado

em

O nome de Claudia Leitte, 41, ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter no Brasil neste domingo (28). No entanto, a causa não foi positiva, a hashtag #ClaudiaLeitteGenocida teve destaque um dia após a cantora apresentar o trio elétrico Blow Out, no estacionamento do Espaço das Américas, em São Paulo.

O Instagram da cantora informou neste sábado (27) que o show respeitaria os cuidados para conter proliferação da Covid-19. “Evento realizado com limitação de público, exigência de comprovante de vacina e outras exigências sanitárias estabelecidas pela secretaria de saúde de São Paulo”, dizia a publicação com uma foto de Leitte pronta para subir no trio.

As imagens do bloco da cantora, porém, contrastavam com a informação, já que era possível ver uma grande aglomeração formada por pessoas sem máscaras, o que não é permitido na capital paulista. A previsão é que a população possa abdicar do item em ambientes abertos somente a partir do dia 11 de dezembro.

Entre elogios de famosos como Giovanna Antonelli, Susana Vieira e Fabiana Karla começaram a surgir críticas de internautas. “Ué, achei que ainda estávamos em pandemia”, escreveu uma. “Primeiro um stories com máscara nos bastidores, pra depois aglomerar enfim a hipocrisia”, falou outra.

No Twitter os comentários condenando a atitude da cantora ganharam força. “O show da Claudia Leitte ontem em SP já pode ser considerado como o marco do retorno à normalidade? Ou, para as igrejas e escolas, o distanciamento e as máscaras continuam?”, perguntou um.

Já outro internauta questionou a seletividade dos ataques. “A tag ‘Claudia Leitte Genocida” nos trends, mas não vi ninguém subindo essa tag pra atacar outros cantores que já estão fazendo vários shows com mega aglomeração, um monte de macho fazendo isso e ninguém fala nada!!! Parem de ser hipócritas, seus m**s”, esbravejou.

Outro relembrou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), já se aglomerava no auge da pandemia e muitos dos que estavam criticando a cantora pela apresentação não disseram nada. “Festa da Claudia Leitte com exigência de comprovante de vacinação não pode, mas o Bolsonaro aglomerar em época que nem vacina tinha pode né? Hipocrisia da p**, bolsominions são burros e incoerentes. Governo de m**”.

Continuar Leitura

Celebridades

Deolane Bezerra: cachê da doutora vaza e divide opiniões na web. Descubra o valor

Publicado

em

Deolane Bezerra está mesmo “estourada”, como ela costuma dizer. A irmã da doutora, Dayanne Bezerra, vazou uma conversa entre as duas em que a esposa de MC Kevin, que deu uma das festas mais badaladas do ano no começo do mês, revela o valor do cachê para presença vip: R$ 150 mil reais por apenas duas horas.

Dayanne participava de uma corrente popular no Instagram, onde as pessoas pedem para ver detalhes do celular do usuário. Um seguidor solicitou prints da última conversa com Deolane, onde ela expunha o quanto cobra para realizar eventos.

“Qual é o valor da presença da Deolane em um aniversário? É em Campo Verde, Mato Grosso. Faz? Se sim, qual valor?”, dizia a mensagem encaminhada por Dayanne. Ela prontamente respondeu: “R$ 150 [mil], duas horas”. Horas depois, a advogada ainda recusou um lanche de uma famosa rede de fast food, oferecido pela irmã. Na manhã desta quarta-feira (24), o print já havia sido apagado.

Continuar Leitura

Celebridades

Luciano Camargo entra na Justiça para impedir Netflix de citá-lo em série sobre Zezé

Publicado

em

A série da Netflix É o Amor: Família Camargo, que será estrelada por Zezé Di Camargo e Wanessa, nem bem estreou e já está gerando problemas. Segundo informações e Leo Dias, do site Metrópoles, Luciano Camargo, irmã e dupla com Zezé, entrou com uma liminar na Justiça para impedir que a plataforma de streaming – responsável pela produção – utilize imagens suas nos episódios.

Ainda de acordo com o colunista, o motivo de Luciano fazer isso é pela questão financeira. Zezé e Wanessa assinaram um contrato milionário com a plataforma de streaming para a produção da série. Ele, não. Com isso, teria achado injusto aparecer no projeto sem receber nada para isso.

Procurado pela coluna de Leo Dias, Luciano Camargo disse que prefere não se manifestar sobre o assunto.

A série documental estreia em 9 de dezembro deste ano. As gravações foram realizadas, em grande parte, na fazenda da família, em Goiás. É o Amor: Família Camargo registra momentos de intimidade entre Zezé Di Camargo e a filha, Wanessa, além de outros familiares.

Continuar Leitura

Em alta