Connect with us

Economia

A Enel Distribuição Goiás e o Governo de Goiás entregam, nesta quinta-feira (10), um grande pacote de obras

Publicado

em

A Enel Distribuição Goiás e o Governo de Goiás entregam, nesta quinta-feira (10), um grande pacote de obras que visa transformar a realidade do fornecimento de energia nas regiões do Entorno do Distrito Federal e do Nordeste Goiano. Ao todo são 12 obras (veja lista complementar no final do texto), que contaram com R$ 312,7 milhões de investimentos, incluindo construções, ampliações e modernizações de subestações, implantação de novas redes de média e alta tensão e um Centro Satélite, o primeiro do Estado.  

 

Para celebrar este momento histórico, a companhia reúne representantes do Governo Federal, do Governo de Goiás, executivos da Enel, prefeitos e outras autoridades dos municípios beneficiados para um ato simbólico de inauguração, que se dará na nova Subestação Estrela D’Alva, em Cidade Ocidental. Também durante o evento, a diretoria da companhia anunciará outras três grandes obras fundamentais para a região: a construção de duas novas subestações, em Cristalina e Santo Antônio do Descoberto, e a construção da Linha de Distribuição Brasília Leste-Itiquira, uma demanda histórica da população. Serão adotadas todas as medidas de segurança e prevenção ao contágio pelo Coronavírus.    

 

As entregas celebradas no evento são parte do projeto Redes do Futuro, que tem como objetivo trazer para Goiás o que há de mais moderno no mundo da distribuição de energia elétrica, com redes inteligentes, sistemas digitais e equipamentos modernos e telecontrolados por um Centro de Operações totalmente reconstruído. “Todas as regiões de Goiás estão recebendo melhorias no sistema elétrico. Só este ano serão construídas 13 novas subestações e modernizadas e ampliadas outras 54. Além disso, está prevista a construção de mais 7 mil quilômetros de novas redes, o que vai permitir que zeremos, até 2022, a demanda reprimida por energia em Goiás”, informa o presidente da Enel Goiás, José Nunes. Ele acrescenta, ainda, que em 2021 serão realizadas quase 10 mil conexões rurais, levando energia e oportunidade de desenvolvimento para regiões remotas do Estado, que esperam pelo benefício há décadas.   

 

De acordo com o country manager da Enel Brasil, Nicola Cotugno, a Enel está cumprindo o compromisso de elevar a qualidade da energia que chega aos goianos e de preparar o sistema elétrico de Goiás para um futuro de progresso e desenvolvimento. “Apenas no primeiro trimestre deste ano, ampliamos nosso investimento em Goiás em 41,6%, chegando a R$ 269,6 milhões. Com esse robusto plano de investimentos, conseguimos alcançar índices históricos de qualidade, com redução pela metade na frequência e duração das quedas de energia em relação ao período Celg”, destaca.  

 

Cidade Ocidental   

Entre as obras entregues nesta quinta-feira, se destaca a construção do novo sistema de alta tensão de Cidade Ocidental, fruto de um investimento de R$ 56 milhões, que contempla a nova Subestação Estrela D’Alva e a nova Linha de Distribuição de Alta Tensão Pacaembu – Estrela D’Alva. “Somente com este sistema beneficiaremos cerca de 230 mil clientes de Cidade Ocidental, Luziânia, Valparaíso de Goiás e Novo Gama. É mais energia para indústrias, comércios e residências e mais desenvolvimento para esses municípios e para o Estado como um todo”, ressalta o diretor de Infraestrutura e Redes de Goiás, José Luis Salas.    

 

A nova Subestação Estrela D’Alva é a terceira construída pela Enel Goiás no modelo compacto, muito utilizado em países da Europa, e caracterizado pelo uso de equipamentos super tecnológicos e multifuncionais, que diminuem o espaço necessário para a instalação. Com potência instalada de 80 MVA, a unidade conta com dois transformadores que trabalham com no máximo 60% do seu carregamento total. Em caso de falha em um desses equipamentos, toda a carga pode ser transferida ao outro, garantindo o fornecimento de energia até que os reparos necessários sejam realizados. “Essa manobra é segura e tecnicamente permitida e dá muito mais confiabilidade ao sistema. Além disso, os aparelhos instalados nesta unidade são telecomandados, permitindo que todas as manobras sejam feitas remotamente pelo nosso Centro de Operações em poucos minutos”, ressalta.    

 

Para alimentar esta subestação, a companhia construiu a Linha de Distribuição de Alta Tensão Pacaembu – Estrela D’Alva, com 8 quilômetros de extensão. Já para levar energia aos novos clientes e conectar a unidade às outras redes existentes, foram construídos 16 novos circuitos, que totalizam 88 quilômetros de novas redes de média tensão. Tanto a linha de alta tensão quanto as de média tensão receberam o que há de mais moderno em materiais e tecnologia, trazendo ainda mais robustez ao sistema.    

 

Novas obras   

Adicionalmente, foram anunciadas outras três grandes obras para a região, entre elas a nova Linha de Distribuição de Alta Tensão Brasília Leste – Itiquira, aguardada há anos e que será entregue pela Enel em 2021. Já em fase de construção, a nova rede terá 55 quilômetros de extensão e beneficiará 175 mil clientes de 25 municípios. Atualmente, toda a região do Entorno e do Nordeste Goiano é abastecida por uma única linha de alta tensão. Quando há uma falha nessa rede, muitos clientes ficam sem energia. “Desde que assumimos a empresa, temos trabalhado fortemente em manutenções para evitar essas falhas. Em paralelo, investimos cerca de R$ 40 milhões e estamos tirando do papel a nova linha, que está sendo construída com o mais alto padrão de qualidade e tecnologia, dentro da lógica do Redes do Futuro. Depois de pronta, ela será a principal fonte de alimentação de toda a região e com certeza aumentará a oferta e melhorará a qualidade da energia entregue aos nossos clientes”, pontua o diretor de Infraestrutura e Redes.    

 

Ainda este ano, será entregue o novo sistema de alta tensão em Cristalina com a nova subestação São Marcos e a construção da Linha de Alta Tensão Cristalina – São Marcos, que terá 40 quilômetros de extensão construídos do zero, além de 65 quilômetros de novas redes de média tensão, um investimento de R$ 95 milhões para levar ainda mais energia para uma das maiores áreas irrigadas da América Latina. Depois de pronta, a unidade beneficiará grandes clientes rurais, que utilizam pivôs de irrigação em suas lavouras, além de atender a demanda reprimida da região. Já a Subestação Santo Antônio do Descoberto, depois de concluída, beneficiará 23 mil clientes do município e da vizinha Alexânia. Ao todo, serão investidos R$ 60 milhões na unidade e na Linha de Alta Tensão Samambaia – Santo Antônio do Descoberto, que aumentará a oferta de energia da região e melhorará os níveis de tensão da energia recebida pelos atuais clientes.   

Continuar Leitura
Clique para deixar um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Mesmo com ICMS congelado, Petrobras sobe preço da gasolina e do diesel a partir de quarta-feira

Publicado

em

O valor do diesel vai subir de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro, alta de 8,08%.

O último ajuste nos preços foi realizado em dezembro do ano passado, quando a Petrobras promoveu uma redução no valor da gasolina de 3,13%. Foi a primeira queda desde 12 de junho.

Já o último aumento foi anunciado em outubro do ano passado.

No comunicado, a estatal também disse que “reitera seu compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, acompanhando as variações para cima e para baixo, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais.”

Nesta terça, o IBGE divulgou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou 2021 em 10,06%, a maior desde 2015. O resultado foi impulsionado pelos combustíveis. O etanol ficou 62,23% mais caro, a gasolina subiu 47,49% e o óleo diesel teve alta de 46,04%.

Continuar Leitura

Economia

Auditores fiscais federais agropecuários iniciam operação padrão 

Publicado

em

Com 97% dos auditores fiscais federais agropecuários (affas) votantes ativos a favor da operação padrão em todo o país, o ritmo normal de trabalho da categoria segue somente para as atividades que podem afetar diretamente o cidadão, como a liberação de cargas vivas, a fiscalização de bagagens de passageiros e de animais de companhia (pets). A operação também não atingirá cargas vivas, produtos perecíveis e o diagnóstico de doenças e pragas, evitando comprometer programas de erradicação e controle de doenças importantes para o Brasil, à exemplo da Febre Aftosa, à Peste Suína Africana (PSA) e de pragas que poderiam colocar em risco políticas sanitárias do setor agropecuário.


De acordo com o Anffa Sindical (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários), a decisão tomada nesta segunda-feira (27), em assembleia com votação eletrônica, já havia sido cogitada na semana passada, quando a categoria foi preterida no Orçamento, Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2022, sendo que o Governo Federal já havia sinalizado com a possibilidade de inclusão da carreira na reestruturação salarial, junto com outras categorias. “Importante destacar que o trabalho dos affas teve um impacto positivo na manutenção de 183 mil postos de trabalho no agronegócio e de R$ 87,5 bilhões no resultado da economia brasileira em 2020”, ressalta Janus Pablo, presidente do Anffa, e reforça que a categoria não consegue entender o porquê do tratamento desigual, que pode comprometer o desempenho de um dos setores que mais contribuiu para alavancar a economia do país — o setor agropecuário — especialmente quando foi afetada pelos efeitos da Covid-19.



O Sindicato destaca ainda que a carreira está sem reajuste salarial desde 2017, enquanto as demais carreiras de auditoria e fiscalização tiveram vencimentos corrigidos em 2018 e em 2019. Janus Pablo esclarece que a carreira vem trabalhando com déficit de 1.620 affas, com excesso de horas-extras e banco de horas, que na maioria dos casos, não podem ser convertidos em folgas, pela carência de servidores. “Com a exclusão da nossa carreira do Orçamento de 2022 o Governo Federal emitiu um recado claro, de que não valoriza o trabalho dos affas e indiretamente, nem os resultados positivos alcançados pela cadeia produtiva do setor agropecuário”, avalia o presidente do Anffa e esclarece que nesse período de mobilização os affas atuarão obedecendo estritamente as leis que regem o serviço público, garantindo a segurança alimentar da população.

Continuar Leitura

Economia

Juro cobrado no rotativo do cartão de crédito sobe a 346,1% a.a.

Publicado

em

Em meio ao ciclo de alta acelerada da Selic pelo Comitê de Política Monetária (Copom), o juro médio total cobrado pelos bancos no rotativo do cartão de crédito subiu 2,6 pontos porcentuais de outubro para novembro, informou nesta terça-feira, 28, o Banco Central. A taxa passou de 343,5% para 346,1% ao ano.

O rotativo do cartão, juntamente com o cheque especial, é uma modalidade de crédito emergencial, muito acessada em momentos de dificuldades.

No caso do parcelado, ainda dentro de cartão de crédito, o juro passou de 172,6% para 167,5% ao ano. Considerando o juro total do cartão de crédito, que leva em conta operações do rotativo e do parcelado, a taxa passou de 67,9% para 67,5%.

Em abril de 2017, começou a valer a regra que obriga os bancos a transferir, após um mês, a dívida do rotativo do cartão de crédito para o parcelado, a juros mais baixos.

A intenção do governo com a nova regra era permitir que a taxa de juros para o rotativo do cartão de crédito recuasse, já que o risco de inadimplência, em tese, cai com a migração para o parcelado.

Continuar Leitura

Em alta