Connect with us

Tecnologia

Implante cerebral ‘devolve’ visão de paciente após 16 anos

Publicado

em

Cientistas espanhóis conseguiram “devolver a visão” a uma paciente cega por meio da inserção de um implante cerebral. Para isso, os pesquisadores inseriram o equipamento no córtex visual da mulher, a fim de estimular essa seção do cérebro e permitir que ela “enxergasse”.

O sistema utiliza uma espécie de retina artificial, que é acoplada a um par de óculos, que tem a função de detectar a luz na frente do usuário. Em seguida, a luz é processada em sinais elétricos, que são enviados para o implante cerebral do usuário, o que permite que ele “veja” a luz que foi captada.

O sistema foi testado inicialmente com uma paciente de 57 anos que já estava completamente cega há mais de 16 anos. Durante o estudo, ela foi capaz de identificar formas e silhuetas, todas elas detectadas pela retina artificial.

Segundo os pesquisadores, este foi um enorme avanço na direção dos olhos biônicos, muito presentes na ficção científica, mas ainda longe da realidade. Todos os parâmetros de estimulação permaneceram estáveis ao longo do tempo, mesmo nos neurônios com deficiência visual.

O artigo sobre os resultados da pesquisa foi publicado no The Journal of Clinical Investigation. A parte mais animadora da pesquisa foi o fato de a paciente ter conseguido identificar algumas letras e reconhecer onde começava e onde terminava um determinado objeto.

De acordo com os autores do estudo, o sistema já pode ser definido como razoavelmente seguro e discreto. O sistema também exige um nível relativamente baixo de energia para funcionar, quando comparado a outros protótipos de implantes neurais para essa e outras funções.

Os testes duraram seis meses, depois disso, o implante foi removido do cérebro da mulher. Agora, serão realizados mais diversos testes e melhorias, até que o sistema esteja pronto e possa ser lançado em escala. Porém, os primeiros resultados foram bastante animadores para a equipe de pesquisa.

Tecnologia

Empresa promete 200 mil dólares a quem ceder rosto para novos robôs

Publicado

em

A empresa americana Promobot está oferecendo 200 mil dólares ao humano que ceder para sempre suas feições faciais para uma nova linha de robôs. A campanha buscará a nova “face” para as máquinas, que serão desenvolvidas para trabalhar em hotéis, shopping e outros estabelecimentos públicos. Para isso, dentre os pré-requisitos da empresa, o rosto deverá ser “amigável”.

Não há requisitos relativos ao gênero da nova face, mas o candidato deve ter mais de 25 anos. Em nota emitida pela companhia, a nova linha de robôs está sendo elaborada a pedido de uma empresa americana que trabalha com aeroportos, shoppings e lojas na América do Norte e Oriente Médio. A previsão da companhia é que os robôs com a nova face escolhida seja lançado em meados de 2023.

Além do rosto do humano escolhido para a tarefa, o corpo também terá seus moldes coletados para a construção de um modelo 3D. Pelo dinheiro, o participante também terá que ceder 100 horas de falas robóticas, ao menos – todos os dados serão coletados e ficarão sob posse da empresa por tempo indeterminado.

“Nossos novos clientes querem lançar um projeto em grande escala, e para isso, eles precisam licenciar uma nova aparência de robô para evitar atrasos legais”, disse a Promobot em comunicado. Para se candidatar a vaga, os interessados devem acessar o site da empresa e responder um questionário informando o desejo de participar.

Criada na Rússia em 2019, a Promobot desenvolve tecnologias nas áreas de reconhecimento facial, navegação autônoma, fala, inteligência artificial e outras áreas da robótica. Segundo a companhia, um dos seus principais robôs atuais são os modelos Promobot V.4 – que funciona em locais públicos como aeroportos, universidades, cinemas e museus – e o andróide Robo-C, também utilizado em áreas movimentadas.

Continuar Leitura

Tecnologia

Instagram quer tornar o seu perfil mais ‘musical’

Publicado

em

O Instagram já permite aos utilizadores adicionarem música aos Stories mas, de acordo com o Times of India (via GadgetsNow), parece que está testando esta mesma capacidade nas publicações do ‘feed’.

A funcionalidade ainda não está disponível para todos os utilizadores do Instagram, sendo que de momento só os presentes no Brasil e na Turquia têm esta opção. No entanto, é de esperar que, eventualmente, mais utilizadores da rede social tenham direito a usar esta capacidade.

Adicionar uma música às publicações do ‘feed’ deverá funcionar de uma forma muito semelhante aos Stories, com o utilizador pesquisando músicas e a conseguindo selecionar a duração que pretende.

Continuar Leitura

Tecnologia

As melhores invenções de 2021, segundo a revista ‘Time’

Publicado

em

A revista TIME anunciou a lista das 100 melhores invenções de 2021. Além dos critérios de originalidade, inovação e eficácia, o ranking levou em conta o impacto que a invenção gera na sociedade.

Abaixo você confere alguns destaques selecionados pelo Guia Sou Mais.

Fazem parte da seleção o foguete New Shepard, da empresa de turismo espacial de Jeff Bezos, e o Samsung Galaxy Z Flip3.
De acordo com a publicação, a curadoria é feita por editores e correspondentes da “Time” em todo o mundo. Os fatores-chave avaliados são: originalidade, criatividade, eficácia, ambição e impacto.


Veja alguns destaques das principais invenções de 2021:


Vacinas contra a Covid


Diversas vacinas foram desenvolvidas para combater a pandemia de Covid-19 usando tecnologias diferentes. A sua aplicação em massa em todo mundo reduziu as mortes e transmissão da doença. Como resultado, o esforço da ciência para salvar vidas ficou entre as principais inovações de 2021.


Robô que ajuda crianças


Em tempos onde muitas vezes a tecnologia é vista como prejudicial para a mente, a Expper Technologies criou o “Robin the Robot”. Com uma carinha fofa e voz alegre, para agradar as crianças, o robô foi desenvolvido para ajudar os pequenos emocionalmente em hospitais.

Tela dobrável


A nova geração de smartphones dobráveis da Samsung conta com Galaxy Z Flip Fold 3. O modelo é mais compacto que o Z Fold 3, e lembra os antigos celulares que dobravam e ficavam bem compactos. No caso do Flip, no entanto, ele vira um aparelho com tela sensível ao toque de 1,9 polegadas quando aberto.


Tênis que não precisar ser tocado

Uma ideia que pode ajudar muitas pessoas a calçarem os tênis, por pressa ou por algum tipo de dificuldade física. Uma dobradiça no Nike Go FlyEase permite que o calçado fique estável nas posições de aberto ou fechado.
Para calçar, basta encaixar o pé dentro que ele se fecha; na hora de tirar, é só encostar a ponta do pé no calcanhar que ele se abre.

Continuar Leitura

Em alta