Connect with us

Economia

Banco Central registra vazamento de dados de 395 mil chaves Pix

Publicado

em

O BC (Banco Central) registrou o primeiro caso de vazamento de chaves Pix, sistema de pagamentos instantâneos. Segundo a autarquia informou nesta quinta-feira (30), dados de clientes do Banese (Banco do Estado de Sergipe) foram expostos por “falhas pontuais em sistemas dessa instituição financeira”.

Em comunicado aos acionistas e ao mercado, o Banese afirmou que sua área técnica detectou consultas indevidas a dados de 395.009 chaves Pix, exclusivamente do tipo telefone de pessoas que não eram clientes.

O BC não confirmou o total de chaves expostas.

Segundo a instituição, os dados foram conseguidos a partir de duas contas bancárias de clientes do Banese, “provavelmente obtido mediante engenharia social (phishing ou similar)”.

Embora o BC tenha informado que a falha se deu no sistema da instituição, o Banese afirmou que as consultas foram feitas diretamente em diretório administrado pelo BC.

“Tais consultas foram realizadas no Diretório de Identificadores de Contas Transacionais -DICT, administrado pelo Banco Central e de acesso restrito às Instituições que iniciam o procedimento para realização de uma transação por PIX, e contém informações de natureza cadastral: nome, CPF, banco em que a chave está registrada, agência, conta e outros dados técnicos utilizados para fins de controle antifraude, tais como a data de abertura da conta e data de registro da chave”, disse o comunicado da instituição.

“Não foram expostos dados sensíveis, tais como senhas, informações de movimentações ou saldos financeiros em contas transacionais, ou quaisquer outras informações sob sigilo bancário. As informações obtidas são de natureza cadastral, que não permitem movimentação de recursos, nem acesso às contas ou a outras informações financeiras”, disse o BC em nota.

O banco disse que “o evento não afetou a confidencialidade de senhas, histórico de transações ou demais informações financeiras de seus clientes”.

​De acordo com a autoridade monetária, as pessoas que tiveram seus dados cadastrais vazados serão notificadas exclusivamente por meio do aplicativo do seu banco.

“Nem o BC nem as instituições participantes usarão quaisquer outros meios de comunicação aos usuários afetados, tais como aplicativos de mensagem, chamadas telefônicas, SMS ou email”, alertou.

O BC disse ter adotado as ações necessárias para a apuração detalhada do caso e “aplicará as medidas sancionadoras previstas na regulação vigente”.

“Mesmo não sendo exigido pela legislação vigente, por conta do baixo impacto potencial para os usuários, o BC decidiu comunicar o evento à sociedade, à vista do compromisso com a transparência que rege sua atuação”, afirmou o BC.

O Banese afirmou ter revogado o acesso às duas contas utilizadas e ter implementado mecanismos de segurança “visando evitar que casos semelhantes voltem a ocorrer”.

Recentemente o BC implementou medidas de segurança para reduzir a vulnerabilidade dos sistemas às ações de criminosos em fraudes, sequestros e outros crimes.

Foi determinado, por exemplo, o limite de R$ 1.000 para operações em canais digitais com Pix e TED (Transferência Eletrônica Disponível) entre pessoas físicas à noite, que começa a valer em 4 de outubro.

A medida também valerá para cartão de débito quando utilizado para fazer transferência, com o WhatsApp Pay.

De acordo com o BC, esse limite poderá ser modificado pelo cliente, mas não por iniciativa do banco. Como padrão, todos que abrirem conta em uma instituição financeira terão este valor estabelecido para operações entre 20h e 6h inicialmente.

Em operações realizadas durante o dia, permanece a regra de que o limite oferecido para o Pix tem que ser o mesmo da TED.

O BC também estabeleceu o prazo mínimo de 24 horas para a efetivação de pedido do usuário, feito por canal digital, para aumento de limites de transações com Pix, TED, DOC (Documento de Ordem de Crédito), transferências intrabancárias, boleto e cartão de débito.

A autarquia afirmou que a medida visa impedir o aumento imediato em situação de risco.

Além disso, na última terça-feira (28), o BC publicou norma que permite que o banco retenha uma operação suspeita de fraude por até 72 horas, medida que passa a valer em 16 de novembro. Com isso, o banco poderá fazer uma análise da transação, aumentando a probabilidade de a vítima reaver seus recursos. Sempre que o bloqueio cautelar for acionado, a instituição deverá comunicar imediatamente ao usuário recebedor.

As mudanças foram anunciadas em 27 de agosto após pressão dos bancos diante da explosão de fraudes, sequestros e outros crimes envolvendo o Pix.

Economia

iFood vai pagar ‘vale-gasolina’ de até R$ 150 para entregadores

Publicado

em

Os entregadores do iFood terão direito a um ‘vale-gasolina’ de até R$ 150. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (15) pela plataforma e o objetivo é minimizar o impacto do preço dos combustíveis.

A iniciativa é uma parceria da empresa com a Shell e faz parte do ‘Fundo de Combustível’ de R$ 8 milhões, criado no mês passado. O valor será repassado aos motoristas.

De acordo com o IG, os pagamentos começam a ser feitos para os entregadores no dia 24 de novembro, com base nas notas efetuadas nos 30 dias anteriores. Em dezembro também será disponibilizado, no dia 24, com base nas entregas de novembro.

Os valores variam conforme o número de corridas, sendo o repasse mínimo de R$ 5 e podem chegar a R$ 80 para moto. Para carro, os créditos variam entre R$ 10 reais e R$ 150.

Interessados devem entrar no aplicativo ‘iFood para entregadores’, abrir Delivery de Vantagens e acessar a categoria “Peças e Manutenção”, no qual estará disponível o Regulamento do Fundo Combustível. Na sequência, é necessário baixar o aplicativo Shell Box no celular e fazer o cadastro na plataforma.

Continuar Leitura

Economia

Uber vai dar bônus para motoristas que evitarem cancelamento

Publicado

em

A fim de melhorar o minguado ganho dos motoristas, a Uber decidiu implementar um pacote de iniciativas neste último trimestre do ano — período em que a demanda por viagens aumenta significativamente. Uma das medidas permite que os autônomos recebam até R$ 1.500 extras em um mês, se evitarem cancelamentos, além de bônus extras pela indicação de novos parceiros.

Os parceiros poderão aumentar a sua renda através da indicação de novos condutores e também a partir de promoções de ganhos adicionais, que serão disponibilizadas ao longo de 11 semanas.

A Grana Extra, por exemplo, oferece um bônus aos que completarem um número mínimo de viagens semanalmente mantendo, no período, os mesmos níveis de aceitação e cancelamento do Uber Pro, o programa de vantagens da plataforma. Os valores adicionais podem variar de R$ 150 até R$ 1.500 no mês. As informações sobre as regiões participantes serão atualizadas semanalmente na página da campanha.

Continuar Leitura

Economia

Com lucro de R$ 31 bilhões no 3º trimestre, Petrobras decide dobrar remuneração a acionistas

Publicado

em

O Conselho da Petrobras aprovou, nesta quinta-feira 28, o pagamento de uma nova antecipação da remuneração aos acionistas, de 31,8 bilhões de reais. Esse montante se soma aos 31,6 bilhões anunciados em 4 de agosto. O total chega a 63,4 bilhões de reais em antecipação aos acionistas.

“A distribuição considera as perspectivas de resultado e geração de caixa da Petrobras para o ano de 2021, sendo compatível com a sustentabilidade financeira da companhia, sem comprometer a trajetória de redução de seu endividamento e sua liquidez, em linha com os princípios da Política de Remuneração aos Acionistas”, disse em nota a estatal.

A Petrobras também informou nesta quinta que registrou lucro de 31,1 bilhões de reais no 3º trimestre de 2021. No mesmo período de 2020, divulgou um prejuízo de 1,5 bilhão. No 2º trimestre deste ano, o lucro foi de 42,8 bilhões.

A estatal teve uma receita líquida de 121,5 bilhões de reais entre julho e setembro, um avanço de 71,9% na comparação com o mesmo período de 2020. Em relação ao intervalo entre março e junho, a alta foi de 9,8%.

Continuar Leitura

Em alta