Connect with us

Anápolis

Artista anapolino é selecionado para dois intercâmbios internacionais

Publicado

em

Único premiado no Centro-Oeste, o artista visual anapolino Talles Lopes foi selecionado para residência artística em Londres e outro prêmio aguarda a definição do destino para intercâmbio. Talles conta como estes últimos resultados têm encerrado um primeiro ciclo de sua formação como artista, a partir de vivências e atividades em locais de Anápolis como a Galeria Antônio Sibasolly.

Duas residências artísticas foram as premiações dentro de uma série de seleções e prêmios que o artista conquistou nos últimos anos. Os mais recentes destaques foram a participação na XII Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo (2019), a exposição “Vaivém”, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB/2019), e a premiação na 7ª edição do EDP nas Artes, no Instituto Tomie Ohtake. “Em face da pandemia, os últimos resultados ganharam um peso simbólico para mim, pela vontade de que houvesse estas e outras oportunidades para incentivar mais artistas”, declara.

O intercâmbio internacional de Talles foi a partir da seleção na chamada do Instituto Inclusartiz, do Rio de Janeiro. A entidade que o receberá, pelo período de três meses, será o Delfina Foundation, em Londres, que se notabiliza pela busca e investimento na descoberta de novos talentos em vários países. O Inclusartiz abriu sua primeira chamada para uma região fora do eixo RJ-SP, contemplando os estados do Centro-Oeste. “O trabalho realizado através das ações e ensino artístico ganha cada vez mais força com estes exemplos de dedicação e vontade, como o Talles”, aponta a secretaria municipal de Integração Social, Esporte e Cultura, Andréa Lins.

Os trabalhos “Excedente Monumental” e “A Grande Orla de Novo Aripuanã” foram contemplados em um dos concursos mais visados por artistas jovens no país, que é o prêmio EDP nas Artes, em parceria com o Instituto Thomie Othake. O anapolino é um dos três premiados entre as 10 propostas selecionadas de 456 inscrições de 21 estados brasileiros. A exposição dos selecionados aconteceu no Thomie Othake, em São Paulo, no segundo semestre de 2020, e Talles aguarda a seleção da entidade onde fará outra residência. “A dinâmica das artes visuais em Anápolis tem se enriquecido com os intercâmbios, em inspirar os artistas locais e apresentar talentos daqui para o país e o mundo”, conta a diretora de Cultura, Nabyla Carneiro.

Talles entende os últimos resultados como o fim de um ciclo e o início de outro. Com formação em Arquitetura e Urbanismo, ele destaca que a descoberta das artes visuais aconteceu a partir de oficinas, exposições e diálogos promovidos pelos espaços municipais como a Galeria Antônio Sibasolly e o Museu de Artes Plásticas de Anápolis (MAPA). No Salão Anapolino, ele foi selecionado nas edições de 2015 e 2016. “Este ciclo que se conclui é da minha primeira formação como artista, gestada em grande parte pelas iniciativas em minha cidade”, explica Talles.

A primeira exposição individual do artista tem abertura prevista para o dia 12 de novembro até 14 de janeiro, no MAPA. Esta realização foi possível pela sua seleção no projeto “Temporada de exposições do MAPA”, pelo Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás e apoio da Prefeitura de Anápolis. “Esta será uma oportunidade de vermos os trabalhos premiados nos principais marcos da caminhada deste artista anapolino”, convida o curador de artes visuais da diretoria de Cultura, Paulo Henrique Silva. Os horários e classificação etária serão divulgados em breve.

Continuar Leitura
Clique para deixar um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anápolis

Jibóia foi capturada pelo Corpo de Bombeiros em Anápolis

Publicado

em

Uma cobra jiboia foi resgatada por Bombeiros da 2ª Companhia Independente de Busca e Salvamento (CIBM). A captura do animal silvestre aconteceu na tarde de quarta-feira (26) em uma residência no setor Anexo Itamaraty, em Anápolis.

A jiboia estava no quintal do imóvel. Ao notar a presença do animal, um morador acionou o 193. “Por não apresentar lesão aparente, a cobra foi solta em uma área de mata”, diz o corpo de Bombeiros. O tamanho da serpente não foi divulgado.

Muitas pessoas acreditam que a jiboia é venenosa. Há até mesmo uma crença de que ela é venenosa durante alguns meses do ano. No entanto, isso não é verdade, pois as jiboias não apresentam glândulas de veneno, nem dentes inoculadores.

Ela é considerada a segunda maior espécie do território nacional, ficando atrás apenas da sucuri. Essas serpentes são muito temidas pelo seu grande porte.

Com informações do Mais Anápolis

Continuar Leitura

Anápolis

Fundo Municipal de Cultura (FMC) de Anápolis, que conta com o investimento de 900 mil reais

Publicado

em

A riqueza da produção musical para além das tendências em voga por grandes gravadoras e marcas é um dos focos do investimento do Fundo Municipal de Cultura (FMC) de Anápolis, que conta com o investimento de 900 mil reais e está com inscrições abertas até o próximo dia 11 de fevereiro. Com o mecanismo de fomento, artistas anapolinos têm oportunidades de produção e difusão de seus trabalhos, além de contribuir com o desenvolvimento da música e dos músicos locais. O FMC é da Prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria Municipal de Integração Social, Esporte e Cultura.

“Entregar este trabalho é muito gratificante, é a vontade de projetar a música autoral anapolina para cada vez mais longe”, aposta o músico Luccas Sena, de 22 anos, já contemplado com recursos do Fundo. Ele circulou desde 2017 com a banda anapolina Velho Cerrado, de estilo ligado ao rock independente, percorrendo festivais e casas artísticas segmentados em cidades de Goiás e Rio Grande do Sul. Após um ciclo apresentando-se em grupo, Luccas segue para um novo momento em sua caminhada artística: um trabalho solo. O EP “Algumas cenas e outras coisas” tem cinco músicas e, no contexto atual da difusão fonográfica, será disponibilizado em plataformas digitais como o Spotify e Youtube.

Desde 2015, Flávio Roberto, 31 anos, tem desenvolvido interpretações de blues e soul brasileiro em mostras musicais, bares e restaurantes, dentro e fora de Anápolis. Ele conta com trabalhos autorais, mas sua maior atuação é na interpretação de temas emblemáticos nacionais e internacionais. Junto à baterista Ingrid Bahia e o baixista Lineu Lucas, tem se apresentado como Flavio Robbie Trio. Através do edital do FMC 2020, tiveram a oportunidade de apresentar um projeto, no último mês de novembro, com lives pelas redes sociais e uma oficina sobre o processo de criação do grupo. “Baseado na principal forma de difusão do trabalho musical, ampliamos uma apresentação que seria em um lugar físico para nível global, ou seja, pessoas de qualquer lugar do mundo assistiram e poderão ter acesso a estes shows temáticos”, explica Flávio.

Grupos, duplas ou artistas solo como Zé Franco, Maryzu Braga, Lauro Almeida e outros músicos conhecidos localmente já foram contemplados pelo FMC difundindo seus trabalhos. “Ninguém melhor que o artista para saber os rumos a serem tomados para que sua arte seja promissora e quando é dada a oportunidade para avançar, o ganho é de toda a comunidade e da classe cultural”, aponta a secretária de Integração Social, Esporte e Cultura, Andréa Lins. Os formatos de projetos disponibilizados para o Fundo ofereceram diferentes elementos da cadeia musical para projetar a música local, como também gerar intercâmbios com artistas vindos de outras localidades. São estes elementos os festivais, gravações de álbuns, produção de videoclipes, circulação, oficinas, entre outros.

Continuar Leitura

Anápolis

Escolas Municipais de Anápolis retornam com aulas presenciais para 37 mil estudantes

Publicado

em

Os 37 mil estudantes das escolas e Cmeis do município retornaram às aulas nesta segunda-feira, 24, de forma 100% presencial, obedecendo todas as medidas de segurança, como uso de máscara, álcool em gel, distanciamento físico e o avanço da vacinação infantil. Enquanto professores e demais profissionais da educação davam boas-vindas aos pequenos, uma equipe da Companhia Municipal de Trânsito, Transportes e Serviços Urbanos (CMTT) realizou ação da campanha Trânsito Seguro nas Escolas, com intuito de conscientizar toda a comunidade escolar sobre a importância do respeito às leis de trânsito e fazer uma volta às aulas mais segura.

A professora Amanda Cristina acredita que o retorno em formato 100% presencial é muito importante, principalmente para fortalecer a aprendizagem. “O contato direto com o professor e com os colegas faz toda a diferença na aprendizagem do aluno, porque a escola não é só transmissão de conteúdo, como também local de interação, troca de conhecimento e de experiência”, afirma a pedagoga.

Manuela Araújo, estudante do 5° ano da Escola Municipal Luiz Carlos Bizinotto, não conseguiu conter a felicidade em estar de volta à escola. “Eu gostei muito de encontrar meus amigos e professores. Estava com saudade de assistir aula na escola e brincar nesse espaço tão gostoso”, conta a aluna.

Para Eerizania de Freitas, secretária municipal de Educação, o primeiro dia letivo do ano de 2022, com o retorno de 100% dos estudantes às aulas presenciais, é motivo de celebração. “Sabemos que um dos impactos causados pela pandemia são os prejuízos no processo de ensino, portanto, esse é o momento de sanarmos perdas e avançarmos em qualidade”, ressalta a secretária, que aponta as estratégias que têm sido adotadas como o programa Educa Anápolis, a criação do Núcleo de Alfabetização e o repasse do recurso de mais de R$ 900 mil pelo Programa de Autonomia das Instituições Educacionais (Pafie).

As escolas também foram palco para ações de educação no trânsito. “Com essa iniciativa, buscamos formar cidadãos mais conscientes e responsáveis, pois acreditamos que crianças que recebem educação no trânsito não somente terão menor probabilidade de sofrer algum tipo de acidente, como também se tornarão adultos responsáveis e com conhecimento das leis”, explica a gerente de Educação no Trânsito, Yasmini Gama.

A campanha foi aprovada pelo senhor Carmo Roberto Soares da Silva, 55 anos, avô do estudante Miguel Ângelo da Silva Franco, 10 anos, que levou o neto de carro para a escola. “É uma excelente iniciativa da equipe da CMTT de estar periodicamente nas escolas fazendo esse trabalho de orientação.” Ele ressaltou ainda que o neto sempre chama sua atenção quando não para na faixa de pedestre ou ultrapassa o sinal vermelho.

Continuar Leitura

Em alta